demissão

demissão

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Trova do vento que passa...












6 comentários:

Luisa disse...

Pergunto ao vento que passa
notícias do meu país
e o vento cala a desgraça
o vento nada me diz.

donatien alphonse françois disse...

Vai ser o refrão para outra década...(?)

Rogério Pereira disse...

Já o foi há 4 décadas atrás...
Vou colocar e
sta trova no
"...Meu Navegar"

max weber thorenson disse...

Já passou de moda
Agora é mais gastronomia
Os refrões mudam

é como as gentes
Alegres há centos

Bibliotecas e Bibliotecários de Babel


há só 15
A Biblioteca de Babel recomenda:
Édipo Rei - Sófocles
Tao Te King - Lao-Tse
O Livro de Jó - Autor desconhecido (está na Bíblia)
Dom Quixote - Miguel de Cervantes
Confissões - Agostingo de Hippona
Ensaios - Michel Montaigne
Crime e Castigo - Fiódor Dostoiévisk
Ulisses - James Joyce
Grande Sertão: Veredas - João Guimarães Rosa
O Castelo dos Destinos Cruzados - Italo Calvino
Ficções - Jorge Luis Borges
É Isto um Homem? - Primo Levi
Cem Anos de Solidão - Gabriel García Márquez
A Hora dos Ruminantes - José J. Veiga
O Evangelho Segundo Jesus Cristo - José Saramago
Os Detetives Selvagens - Roberto Bolaño
O Tigre Branco - Aravind Adiga


este é brasileiro

são os refrões do futuro

trovas são os refrões dos passados
mortos e esquecidos

max weber thorenson disse...

há tantos refrões em prosa

já não voltam,estão armazenados

Rosa dos Ventos disse...

"Há sempre alguém que resiste
Há sempre alguém que diz NÃO" !